Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

palavras&desabafos

Escrever o que sinto, o que quero, o que penso. Divagar pela alma, pelo coração, ou simplesmente salvar ideias e criar sonhos.

palavras&desabafos

Escrever o que sinto, o que quero, o que penso. Divagar pela alma, pelo coração, ou simplesmente salvar ideias e criar sonhos.

Sex | 05.01.18

Desempregada depois dos 40

Esta é, certamente, uma história igual a tantas outras, daqueles que estão nesta triste situação ou condição que é a minha, a de desempregada

Sempre fui uma rapariga atenta, muito positiva, cresci cheia de sonhos, estudei muito, tirei uma licenciatura, e sempre sonhei um dia ser professora. Esse era o meu grande objetivo profissional. Terminei o curso, casei, entretanto tive o meu primeiro filho e só depois fiz o meu estágio profissional. Sou professora profissionalizada. A vida era fácil naquela altura, tudo corria bem, a prioridade era o meu filho ( entretanto veio outro) e concorrer para longe de casa não era uma opção, até porque financeiramente não existiam problemas.

Desde sempre que o meu percurso profissional foi instável, trabalhei sempre a recibos verdes, fui dando aulas como formadora, e explicações em centros de apoio pedagógico. Entretanto, especializei-me em Ciências Documentais, na esperança de conseguir dar continuidade a uma oportunidade que surgiu, mas mais uma vez me foram arrancados todos os meus sonhos, mas por quê ??? podem perguntar!!! porque havia gente com cunhas maiores que a minha, só isso!!

Sempre que olho para trás e recordo a minha vida profissional, as lágrimas correm-me pelo rosto, não porque sinto pena de mim, mas porque me revoltam as formas pelas quais tenho sido tratada. Quando acredito que vai ser desta... esquece, ou dizem que ligam e não ligam, a entrevista correu super bem, dizem que gostam muito do teu perfil, que vais ser chamada entretanto, e ficamos eternamente no entretanto! Sinto-me muitas vezes tratatada como lixo em processo de separação para reciclagem!

De uma coisa eu sei, que sou extremamente profissional, não tenho dúvidas disso, e também sei reconhecer que as circunstâncias não têm sido muito simpáticas comigo.

Todos os meus dias, são dias de procura, de uma busca incessante pela minha oportunidade, e são várias as candidaturas que faço, mas muito raras as respostas. E a angustia, e espera por uma resposta? Será que quem está do outro lado tem noção ou faz qualquer ideia do que se passa deste? 

Nós, os humanos, temos a grande capacidade de conseguir esquecer quem fomos, ou quem somos, de fingir que não é connosco, de ficarmos indiferentes às razões dos outros.

Digam-me por favor o que mais posso fazer para além do que tenho feito:

  1. Estou inscrita no Centro de Emprego
  2. Estou inscrita em todas ou quase todas as plataformas digitais de procura de emprego
  3. Tenho perfil atualizado no Linkedin
  4. Concorro a todas as candidaturas possíveis, dentro e fora da minha área
  5. Passo, pelo menos, duas horas por dia a procurar ofertas de emprego

Estou a entrar em pânico.... ou acho mesmo que estou em modo desespero!!

EU

 

 

48 comentários

Comentar post

Pág. 1/2