Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

palavras&desabafos

Escrever o que sinto, o que quero, o que penso. Divagar pela alma, pelo coração, ou simplesmente salvar ideias e criar sonhos.

palavras&desabafos

Escrever o que sinto, o que quero, o que penso. Divagar pela alma, pelo coração, ou simplesmente salvar ideias e criar sonhos.

Qui | 22.02.18

Os Piores Anos da Minha Vida @2

O Segundo

Há coisas que nunca se esquecem, e esta é uma delas, até porque tem tudo a ver, ou não tem nada...ainda não sei, com o meu grande e atual propósito, o de perder peso. O certo é que há coisas que nós nunca esquecemos, mesmo que tenham sido há muito tempo atrás.

A minha adolescência não foi fácil, assim como a maioria das adolescências, como tenho verificado ao longo da minha vida, a lidar com adolescentes. Os meus treze anos foram um misto de acontecimentos, que não lembram a ninguém. Eu era uma criança anafada, a quem sempre gostaram de chamar gorda, pote, pacote de banha, gordurosa, era uma miúda a quem não se dava muitas aberturas, brincadeiras aconteciam assim por obra do acaso, e entrar em grupos? Não, isso não era para mim! Nunca me convidavam, ou se o faziam era para gozar com a minha pessoa. A infância não foi fácil e a adolescência também não veio trazer nada de novo. Continuavam a gritar pela gorda, não tinha grandes amigos, até os professores ignoravam a minha presença. Passei as passinhas do Algarve, como se costuma dizer, ainda me lembro num carnaval, o quanto enxovalhada fui, tudo o que podem imaginar caiu-me em cima... sim tudo...ovos podres, farinha, e outras coisas que não quero dizer, nem lembrar. Escusado será dizer que nesse ano fiquei retida, mas também ninguém se importou. Os meus pais, apesar de me apoiarem em tudo, não conseguiram ajudar muito, primeiro porque eu não lhes contava nem metade, e só depois de eu me recusar a ir à escola é que a minha mãe foi falar com a diretora. Mas já não havia grande coisa a fazer, o ano letivo esse já estava perdido.

Na altura não se falava muito de bullyng, acho que nem se sabia o que isso era, estou a falar-vos de há trinta anos atrás. 

Mas as coisas boas também acontecem e naquelas férias de verão a minha vida mudou, e não é que a rã virou princesa. Nesse verão cresci imenso, tornei-me numa miúda  gira. Emagreci naturalmente quando cresci, o rosto deixou de ser redondinho, de miúdita, passou a ser o de uma adolescente gira, sim ...quando voltei à escola, ninguém ou quase ninguém me reconheceu. Entrei numa turma nova, fiz amigos, alguns que guardo no coração até hoje. 

Esta experiência não a desejo a ninguém, no entanto, a mim fez-me aquilo que sou hoje, ensinou-me a olhar para os outros e a lê-los primeiro, a não confiar, assim logo de caras! Sou um tanto ao quanto desconfiada...mas amiga do meu amigo, sempre.

Eu

bullying-26047869-f5159e62.jpeg

 imagem aqui

2 comentários

  • Imagem de perfil

    eu 22.02.2018 14:12

    Foi muito difícil, e ao longo da minha vida sempre tentei fazer com que situações semelhantes não acontecessem, e talvez por isso tenha escolhido ser professora, e talvez por isso tente sempre proteger os mais frágeis e acreditar que um dia podemos mudar os nossos comportamentos. Acredito que andamos cá todos por alguma razão, a minha certamente passa por educar e dar o melhor que sei a quem ensino, sem dúvida! Pena que este ano não o esteja a fazer...infortúnios...mas isso é outra história! Beijinhos
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.