Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

palavras&desabafos

Escrever o que sinto, o que quero, o que penso. Divagar pela alma, pelo coração, ou simplesmente salvar ideias e criar sonhos.

palavras&desabafos

Escrever o que sinto, o que quero, o que penso. Divagar pela alma, pelo coração, ou simplesmente salvar ideias e criar sonhos.

Qua | 31.01.18

Sem Papas na Língua

A propósito do artigo " Exames nacionais promovem desigualdades entre estudantes e só beneficiam centros de explicações"aqui, conclusão do estudo realizado por Andreia Gouveia, investigadora da Universidade de Aveiro, não concordo totalmente com a nálise que faz e considero um retrato pouco abrangente do que se passa nas nossas escola, e em torno do nosso sistema educativo. Até posso questionar o problema da desigualdade económica, mas dai a dizer que " o instrumento exame" é uma causa das desigualdades sociais, não me parece muito correto..Se a escola cumprisse com o seu principal dever, o de ensinar, certamente não seriam os centros de explicação os grandes beneficiários dos exames e não se colocaria em causa a questão da desigualdade.

Olhando para o nosso sistema educativo, e sabendo o que se passa nas escolas, digam-me como é que se podem cumprir objetivos e acompanhar alunos, que possam ter mais dificuldades nos conteúdos lecionados, com turmas a abarrotar de vinte e tal ou trinta alunos? Como é que se pode ter motivação para lecionar depois de se fazer mais de sessenta ou setenta quilómetros para chegar ao local de trabalho?Como se podem dar aulas com turmas cheias de jovens pouco ou nada interessados, cujo principal objetivo de vida é fazer passear o telemóvel e preocupar-se com as últimas novidades das redes sociais?

Mas há mais, e  não se escapam os docentes pouco dados ao ato de ensinar, cuja história familiar é sempre muito mais interessante para contar aos alunos, assim como a brincadeira do gato, a constipação do periquito, ou um sem fim de outras coisas sempre muito mais importantes, passo a ironia, do que a análise sintática ou a conjugação verbal, a expansão portuguesa, ou a densidade populacional!

Como é que se pode falar em desigualdade motivada pelos exames, se o que a motiva é o próprio sistema de ensino? Julgo até, que os exames servem para repor alguma igualdade, ao aferirem de igual forma os conhecimentos adquiridos em ciclo, quer sejam em casa, na escola, ou nos centros de explicação. Se isto já é uma rebaldaria com exames, imaginem lá se eles não existissem, se é que me faço entender!

Comecem a escolas a cumprir com os seus objetivos, fiscalizem mais o compadrio entre professores e centros de estudo, façam aplicar a legislação em vigor sobre esta matéria,, porque quem explica nos centros de estudos são os profssores que lecionam nas escolas...Isto é tipo "pescadinha de rabo na boca", Ah pois é!!!!

EU

top.png

 

4 comentários

Comentar post