Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

palavras&desabafos

Escrever o que sinto, o que quero, o que penso. Divagar pela alma, pelo coração, ou simplesmente salvar ideias e criar sonhos.

palavras&desabafos

Escrever o que sinto, o que quero, o que penso. Divagar pela alma, pelo coração, ou simplesmente salvar ideias e criar sonhos.

Qui | 22.02.18

Os Piores Anos da Minha Vida @2

eu
O Segundo Há coisas que nunca se esquecem, e esta é uma delas, até porque tem tudo a ver, ou não tem nada...ainda não sei, com o meu grande e atual propósito, o de perder peso. O certo é que há coisas que nós nunca esquecemos, mesmo que tenham sido há muito tempo atrás. A minha adolescência não foi fácil, assim como a maioria das adolescências, como tenho verificado ao longo da minha vida, a lidar com adolescentes. Os meus treze anos foram um misto de acontecimentos, que (...)
Qua | 07.02.18

Os Piores Anos da Minha Vida @1

eu
O Primeiro Tenho pensado muito nisto, se calhar não o devia fazer, já que não estou num bom momento da minha vida, mas que há coincidências...há! O primeiro ano de que tenho má memória, tinha quatro anos, quase cinco. Lembro-me bem do terror de uma doença rara, que na época levaram meses até descobrir do que se tratava. Foram semanas de Hospital, foram dias de tortura, agulhas partidas, choro, e medo. Gravou a minha memória o dia em que fiquei naquele hospital, sozinha. Durante (...)
Ter | 30.01.18

O melhor de nós...

eu
Amamo-los desde o primeiro minuto, e sabemos que é eterno, e julgamo-lo mútuo. Com o tempo eles crescem e muitas vezes a distância entre pais e filhos aumenta, mesmo quando vivem juntos. Enquanto pais passamos por uma encruzilhada de sentimentos, ou falta deles, ainda não sei! Às vezes é grande a angustia de não saber o que fazer, como agir ou simplesmente ajudar. Conheço alguém que precisa de ajuda, mas também, nem sempre é fácil aceita-la ou admiti-la. Podemos até falar (...)
Qui | 25.01.18

Os Filhos de hoje... Os Pais de amanhã

eu
Acredito que, mesmo sendo filhos muito desejados, nem todos possam ter perfil para ser pais, que apesar de todos querermos fazer o melhor, nem todos somos capazes de carregar o peso de educar sozinhos, mas acredito que com vontade e ajuda, todos chegamos lá, se for esse o nosso desejo. Não queria ser mãe muito cedo, não fazia parte dos meus maiores sonhos, mas foi cedo que essa alegria aconteceu na minha vida. O meu primeiro amor nasceu na forma de bebé não planeado mas muito (...)
Ter | 23.01.18

Querida Júlia: Ainda sobre a SuperNanny

eu
Querida Júlia, acredita em todas as palavras que proferiu? Considera mesmo que este programa pode ter uma vertente pedagógica? Acredita que estão a defender a educação e a fazer crescer de forma saudável estas crianças?  Não acredito que a exposição do lado mais frágil seja benéfico para qualquer criança, e falo como mãe, mas também, como profissional da educação. Trabalhei muitos anos com crianças, cujas regras que conheciam eram as suas, com jovens adolescentes com (...)
Sex | 19.01.18

Ainda acerca da SurperNanny !!

eu
Confesso que tenho andado distraída, e que só agora percebi ( porque só agora vi) a dimensão do absurdo do programa que colocaram em horário nobre de Domingo à noite, na estação de televisão SIC,  como se de entretenimento familiar se tratasse. O propósito ainda não alcancei,  mas certo é que assisti a uma brincadeira de adultos, pela invasão dos direitos das crianças e  à sua dignidade. Poderíamos precisar de olhar para a Declaração Universal dos Direitos da Criança (