Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

palavras&desabafos

Escrever o que sinto, o que quero, o que penso. Divagar pela alma, pelo coração, ou simplesmente salvar ideias e criar sonhos.

palavras&desabafos

Escrever o que sinto, o que quero, o que penso. Divagar pela alma, pelo coração, ou simplesmente salvar ideias e criar sonhos.

Sab | 14.04.18

Desabafos

eu
Ando aqui às voltas, preciso escrever, mas nem sei como começar, nem por onde ir. Os últimos tempos têm sido uma verdadeira roda viva de emoções, de sentimentos, de preocupações, mas também de alegrias, aprendizagens, de muito amor e dedicação.  Quando a nossa vida entra num turbilhão de acontecimentos, assim um bocadinho pro inesperados, ficamos sem saber o que fazer, como agir, às vezes sem pensar! Sei que parece confuso, sim e tem sido muito confuso, complicado de (...)
Sab | 03.03.18

A carne é fraca mas a vontade é forte

eu
Como sabem, e se não sabem ficam agora a saber, estou em dieta há duas semanas, e o objetivo é perder um quilo por semana, No inicio foi deveras difícil, achava que estava sempre com fome, mas não ....não era fome, era apenas vontade de comer. Engordei ao longo destes três anos em que deixei de fumar, quando comecei lentamente a substituir o cigarro por comida, o que provocou um aumento de doze quilinhos. Não, eu não estou gorda, estou só a rebentar, como tal, teve de ser ! E (...)
Qui | 08.02.18

Deixar de Fumar

eu
Deixar de fumar é uma batalha daquelas que não imaginamos o quão difícil pode ser. Deixei de fumar há, precisamente, três anos, e todos os dias, ou quase todos, lembro-me do cigarro, e todos os dias digo não fumo outra vez,  mas confesso que está a ser difícil aguentar sem este vicio, sim... eu sei que faz mal, mas ao mesmo tempo foi o meu companheiro durante muitos anos, e não é fácil largar assim quem nos faz companhia nos momentos bons e maus da nossa vida. Pois (...)
Qua | 07.02.18

Os Piores Anos da Minha Vida @1

eu
O Primeiro Tenho pensado muito nisto, se calhar não o devia fazer, já que não estou num bom momento da minha vida, mas que há coincidências...há! O primeiro ano de que tenho má memória, tinha quatro anos, quase cinco. Lembro-me bem do terror de uma doença rara, que na época levaram meses até descobrir do que se tratava. Foram semanas de Hospital, foram dias de tortura, agulhas partidas, choro, e medo. Gravou a minha memória o dia em que fiquei naquele hospital, sozinha. Durante (...)